patrocinado por

Entenda o Proj. Antes do Fim do Mundo... e um pouquinho além.



Diário de Motocicleta

Você ceramente se lembra que o mundo ia acabar em 2012 por conta do Fim do Calendário Maia, certo? Então, qual era a melhor época para ir até o Fim do Mundo?

Com essa sacada, eu e a Elda partimos rumo ao Ushuaia em meados de Dezembro de 2012, carregados de ansiedade em cruzar a Patgônia e ver o Pôr do Sol no dia 22 de Dezembro - Dia do Fim do Mundo, en directo del Fin del Mundo.

Acontece que na altura de Floripa a Elda adoeceu, o que nos fez voltar para casa para deixa-la
No dia seguinte voltei para estrada afim de cumprir os contratos feitos com nossos parcerios.

Foi a primeria vez que viajei sozinho, e a loucura veio com a ausência da Elda, que durante oito meses planejou cada passo daquela aventura e agora, não estava mais comigo.

Os Ventos Patagônicos e o Rípio foram vencidos, vi pinguins, neve, viajei com a luz do Sol até as 23h, e não vi o Pôr do Sol no dia 22, por que estava chovendo, mas eu estava lá... no fim da RUTA 3 - eu desci por ela, e subi a RUTA 40, curtindo cerca de 850 km de rípio.

Apesar da companhia de muitos amigos, chorei sozinho por passar as festas de Fim de Ano longe da minha filha, por não estar com a Elda no dia do seu aniversário, e por vezes, atônito diante das tantas coisas que descobrimos sobre nós mesmo, quando estamos no mundo sem ninguém.

HOTEL KOI MAHIK - EL CALAFATE/AR

Cidade: El Calafate/AR | Categoria: Onde Dormir
Postado em: 8/6/2013
Diário de Motocicleta

El Calafate foi outra cidade em que fugi à regra e efetuei reserva antes de chegar, isso por que passaria o Natal na cidade e não quis correr o risco de rodar Patagônia adentro e não encontrar vagas, ou na melhor das hipóteses, pagar um valor de balcão astronômico.

O melhor custo benefício foi o Hotel Koi Mahik, apesar da distância de aproximadamente uns 4 km do agito da cidade.

Não há transporte público.

O Hotel é muito aconchegante com áreas sociais para café da manhã e sala de estar amplas. Os quartos possuem aquecedor, uma cama pra lá de macia com grossos cobertores, TV, wi-fi e um banho quentinho.

O café da manhã está incluso na diária e o estacionamento mesmo não sendo fechado e coberto, é muito seguro.

O proprietário Juan Carlos e seu filho Pablo não medem esforços para fazer da sua estadia parecer que está em casa. Prova disso foi a organização da Ceia de Natal ao qual fui convidado e tive o jantar mais internacional da minha vida, pois na mesma mesa sentaram uma familia de Barcelona, uma de Madri, uma da Itália e uma família de El Calafate.

Foi uma noite super divertida e uma estadia maravilhosa.

Me foi cobrado R$ 140,00 (US$63,00) por diária. O valor para casal é o mesmo para single.

O Hotel Koi Mahik fica na Calle Capitan Soto, 3867 – seguindo pela Av. Del Libertador Gral. San Martin, depois de uns 3 km e meio, à sua esquerda na rua paralela à Avenida. www.hotelkoimahik.com.ar

Recomendadíssimo!

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto