Entenda o Proj. Êxodo de Moto


Diário de Motocicleta

Depois de oito anos sem férias, e após cinco meses de planejamento para esta viagem, eu e a Elda partimos naquela que seria a nossa primeira viagem de longa distância.

Partimos no meio de Maio de 2010 rumo à Slavador, subindo pelo interior de Minas Gerais e Bahia, e descendo pelo litoral.

Seria uma vaigem fantástica não tivéssemos errado na época do ano... entre Maio e Setembro ocorre a temporada de chuvas no Nordeste brasileiro e não deu outra, pegamo frio em Minas e muitas chuvas de Salvador/BA até Paraty/RJ.

Foi a primeira viagem que relatamos o nosso dia a dia diretamente da estrada, e isso atraiu a companhia virtual de muitos amigos, que através de fotos, vídeos e relatos, curtiram com a gente essa nossa primeira aventura.

NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

Cidade: Ouro Preto/MG | Categoria: Passeios
Postado em: 30/6/2010
Diário de Motocicleta

No Santuário Nossa Senhora da Conceição também é proibido filmar e fotografar, mas a visita mais que vale a pena, não somente pela igreja em si, mas como o Museu do Aleijadinho que funciona em anexo a igreja. 

Esta grande igreja é uma das mais importantes de Ouro Preto, não só pelas suas proporções, como pela qualidade arquitetônica e belíssima ornamentação interior.

O projeto se atribui a Manuel Francisco Lisboa, pai de Aleijadinho, que iniciou seus traços em 1727. 

É de supor que, em meados do século XVIII, a igreja já estaria terminada, a  respeito das obras de alvenaria, cobertura, soalhos, forros, esquadrias, enfim os componentes arquitetônicos básicos. Durante todo o século XVIII e início do século XIX, estenderam-se os trabalhos relativos à ornamentação interior. Há pouca documentação com referência a esses trabalhos. Sabe-se com segurança que entre 1760 e 1765 Filipe Vieira, entalhador, foi pago por trabalhos de talha na capela-mor. 

Quanto à fachada, há notícia de que em 1794 já estaria arruinada, e que foi reconstruída no século XIX. 

A nave apresenta uma seqüência de oito altares e retábulos, além dos púlpitos e um revestimento de talha cobrindo as paredes.
Na entrada vê-se a pia de água benta, trabalhada em pedra-sabão; o batistério com grande pia de pedra e pintura representando o batismo de São João.
O grande tapa-vento é de madeira, com tarja entalhada e vidros.
O coro é suportado por colunas duplas e grande arco, fechado por grade de balaústres de jacarandá, dando acesso às quatro tribunas do corpo central (nave), em forma de sacadas fechadas por balaústres idênticos aos do coro.
Há oito quadros correspondendo aos altares.
O teto é simples, com um grande lustre antigo, de cristal e mais nove menores. Há ainda outros menores, colocados no alto de cada tribuna.
Quanto aos altares, no sentido da entrada: o primeiro à esquerda sob a invocação de São José com bela imagem do Santo e do Menino; a talha, como a dos outros altares, é extremamente rica, correspondendo à época de Dom João V, em pleno apogeu do barroco.
O tratamento dos altares, retábulos, púlpitos, tribunas e do revestimento em geral é em branco e ouro, pintura e a folheamento de ouro.
O conjunto da talha da nave é ressaltado pelos retábulos, com suas colunas torsas, os baldaquins e sanefas e toda uma multidão de figuras de anjos e serafins. 

Nesta igreja estão enterrados pai e filho (Manoel Francisco e Aleijadinho) – por conta disso, a igreja possui um belíssimo museu em homenagem a Aleijadinho com centenas de suas obras. 

Curioso dentre tantas obras, uma encomenda que Aleijadinho recebeu para esculpir 4 Leões que serviriam de apoio a caixões em solenidades fúnebres. 
Os Leões de Essa como são conhecidos são belíssimas figuras, mas que olhando bem, nota-se uma anomalia... Aleijadinho não fazia a menor idéia de como era um leão e os esculpiu com cara de macaco.


São mais de 250 peças em um passeio prá lá de interessante.


Os ingressos custam R$5,00 mas se você comprar na hora de visitar a Igreja de São Francisco, paga R$6,00 pelos dois ingressos.

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto