patrocinado por

100.000 KM NA DUCATI MULTISTRADA
PARTE 1

Postado em: 25/09/2016 | Categoria: Manutenção da Moto
Diário de Motocicleta

Nos idos anos de 2010, recebi um convite para participar de um evento na Casa do Cônsul Geral da Suíça em São Paulo/Capital, ocasião em que haveria uma palestra do próprio Cônsul, a época na figura do Sr. Hans Hauser, motociclista sexagenário que resolveu fazer um tour de moto por sua terra, para mostrar e incentivar o turismo na bela Suíça.

Me lembro que foi a primeira vez que vi pessoalmente uma DUCATI Multistrada e me encantei com o design e avanços tecnológicos, com a suspensão eletrônica que fazia a moto subir e descer de acordo com a carga selecionada, entre outros hipnóticos recursos.

A moto era linda, e apresentada com os Alpes Suíços ao fundo, o cenário não era nem de perto um futuro palpável, pelo contrário, era quase que impossível naquela época, sonhar em ter uma máquina daquelas.

Eu engatinhava sobre duas rodas... motociclista há apenas 4 anos, dono de uma Shadow 600 2001, ainda planejava a primeira viagem de Longa Distância que percorreria 5.600 km de Santos/SP até Salvador/BA.

Naquela época eu não era dado a perseguir sonhos, e tinha por hábito esquece-los tão logo os olhos se abrissem, e não foi diferente com aquele tom de vermelho Ferrari que ficou preso na minha retina por longos dias.



As voltas que o mundo dá

Retornei de Salvador, troquei a Shadow pela V-Strom 650, fui contratado pelo Salão Duas Rodas para realizar o Proj. Caminho do Peabiru - na trilha dos Incas até o Peru em 2011. Depois segui para o Ushuaia no Fim do Calendário Maia, e dei uma volta ao redor do Brasil para conhecer as Cidades da Copa (novamente em parceria com o Salão).
Até que um dia, um Gerente de Concessionária DUCATI, conhecedor do meu trabalho, me chamou para conversar sobre moto passeios.

Meu coração veio na boca quando passei ao lado da nova DUCATI Multistrada 1200 S Touring e displicentemente lhe passei a mão no banco, sentindo suas curvas adormecidas sobre um motor de resposta rápida.

A primeira palavra que você aprende neste novo “Mondo Rosso” é Desmodrômico, um comando que controla a abertura e o fechamento das válvulas, entregando uma moto esperta, potente e com controle ao toque das mãos.

Quatro anos haviam se passado e definitivamente a DUCATI não fazia parte do meu mundo... pelo menos até ali.

Fiz um Test Rider pela cidade e confesso que a primeira vista, não gostei nada da moto. O motor era “Italianamente” barulhento e chamava muito a atenção, a manopla pinicava nas mãos sem luvas, e o torque de saída nos semáforos era preocupante de se controlar. Definitivamente a Multistrada não é uma moto para se testar nas ruas de qualquer cidade. Ela pede estrada desde o seu nome.

Fiquei encantado é claro, mas também feliz em voltar para casa de V-Strom.

Aquela oportunidade caminhou para um Test Drive maior, de 2.400 km, guiando um grupo de amigos para a Serra do Rio do Rastro. Aí sim eu pude ver do que era feita aquela motoca.

Foi a típica situação de me perguntar: “Como eu consegui viver sem isso por tanto tempo?”

É preciso ressaltar que este que vos fala, vinha de uma moto com 650cc e 67 cavalos, uma comparação injusta, mas um upgrade de respeito.

A primeira grande diferença na pilotagem veio na confiança gerada por um torque absurdo, quase um coice nas mãos de um novato.

Em sexta marcha, era possível ficar atrás de um caminhão aos 75 km/h, e ultrapassa-lo na primeira oportunidade, com segurança, em apenas alguns segundos.
Os saltos no velocímetro, de 70 aos 130 km/h num piscar de olhos ainda me arrancam sorrisos.

É como se as forças da física agissem de forma diferenciada, colocando a moto em um buraco de minhoca, um atalho no tempo/espaço e, numa fração de segundos te lançando a um outro lugar.

A pilotagem, graças ao seu baixo centro de gravidade, confere a moto uma dirigibilidade de bicicleta, onde, com técnica e confiança, é possível fazer qualquer tipo de curva.

O ABS Brembo e o Controle de Tração fazem o resto da festa, e as possibilidades ofertadas pelos quatro Modos de Pilotagem – Touring, Urban, Sport e Enduro, te abrem o mundo diante do painel.

Nada como 150 cavalos de força controlados com segurança e tecnologia.



0 km - Ligando os motores

Com a minha Multistrada parti em 12 de JUNHO de 2014 rumo ao World DUCATI Week na Itália, maior encontro da marca no mudno, saindo primeiro em direção à Buenos Aires, para voltar ao Brasil, numa maratona de estradas e palestras, subindo toda a costa brasileira com paradas nas Concessionárias DUCATI.

Com três países percorridos na América do Sul, voei para Lisboa, peguei outra Multistrada e rodei Espanha, França e Itália.

Esse projeto terminou com o recorde de 14.500 km percorridos até o maior evento da DUCATI no Mundo, e a certeza que os próximos km seriam divertidos e numerosos.

No próximo artigo vamos falar sobre a manutenção da moto nestes 100.000 km.

Até lá!

Confira a Parte 2, Parte 3, Parte 4 e Parte Final

fotos relacionadas

Oferecimento
GIVI do BRASIL

Publicidade
Viagem na Foto

Motoque-se
Descubra Machu Picchu em 2018

Baixe Grátis
Taqueopariu - O outro lado das viagens de moto